Você conhece as diferenças entre PABX e IPBX?

  por  Ricardo A Higa    Thu, Apr 14 2016 12:04:38
      
Você conhece as diferenças entre PABX e IPBX?

No mercado empresarial atual, assim como, na atual conjuntura econômica, muito se tem falado no termo “recessão”.  E quando falamos em recessão, voltamos certamente nossos olhos a infraestrutura operacional das empresas, com o objetivo de otimizar processos, garantir eficiência, eficácia e o principal: redução de custos. E, dentre os inúmeros quesitos que entram na ótica dos administradores, um dos itens avaliados são os gastos com comunicação, principalmente gastos com telefonia e internet, recursos básicos e necessários aos processos operacionais mas que, se mal dimensionados, podem ser uma fonte incalculável de desperdícios.

No foco do telecom, até há pouco tempo, a maior parte das empresas utilizavam centrais telefônicas eletrônicas independentes, que recebiam os recursos da rede pública de telefonia e as distribuía em todos os seus departamentos, através de bases e/ou aparelhos telefônicos a ela conectados. Todos os novos recursos necessários deviam ser incluídos através de placas e circuitos adicionados a essa central. Sendo este um processo operacional trabalhoso, onde novos recursos exigiam ainda altos investimentos na compra de hardwares adicionais bem como, aquisição de cabos para expansão de pontos de atendimento e pessoal técnico especializado na implantação e manutenção da central para a marca e o modelo em uso pela empresa.

As principais características do PABX (Central Telefônica Convencional) são:

  1. Expansível através da aquisição de placas e módulos para aumento de pontos de atendimentos, comunicação com a rede pública de telefonia e adição de funcionalidades como conferências, siga-me, módulo espião e etc.

  2. Necessidade de pessoal técnico especializado para a marca e o modelo especifico do PABX.

  3. Caso a expansão seja superior a capacidade de inserir placas e módulos, há a necessidade de adquirir outra central em substituição à existente.

  4. Limitada à existência ou não do recursos conectados à central telefônica.

  5. Dificuldade em reorganizar os pontos de atendimento, visto a necessidade de passagem de fios e cabos para conexão/ligação.

  6. Vários modelos de PABX convencionais não permite reprogramação de novos recursos, tais como, bloqueios inteligentes de chamadas de acordo com a operadora de telefonia, o que pode minimizar consideravelmente os custos por ligação.

Com o advento da internet, o surgimento de novos dispositivos, novos processos e formas de comunicação, houve a necessidade de “adequar” as antigas centrais telefônicas convencionais à nova demanda de mercado, onde o foco são recursos mais maleáveis e escaláveis, de acordo com as necessidades de cada empresa. Foi quando surgiram os sistemas de PABX por software, onde a comunicação com os pontos de atendimento se faz através da rede de computadores ou comunicação por IP, daí o termo IPBX . Essa evolução possibilitou o desenvolvimento de modelos de gestão inteligentes, que permitem maior controle do fluxo de ligações, aumento de produtividade dos usuários do sistema de telefonia e ainda redução nas contas telefônicas.

As IPBX, diferente das PABX, aproveitam uma estrutura já existente na maior parte das empresas, assim toda a necessidade de realocação dos ramais ou pontos de atendimento corre em paralelo ao desenho e topologia da rede disponível, permitindo sobretudo a alocação e criação de recursos tendo por base reprogramação do servidor para tal. Recursos como gravações de ligações, siga-me, conferências, call backs e secretárias eletrônicas podem ser adicionados ao cenário com muita facilidade.

       Desta forma, as características das IPBX são:

  • Não há limite de expansão, o limite imposto é o existente pelo hardware do equipamento servidor.

  • Permite integrar toda e qualquer tecnologia de telefonia de acordo com as necessidades da empresa, necessitando para tal, dos módulos internos ou externos para integração com o recurso, inclusive permitindo integração de empresas com várias filiais num só ambiente de telefonia (Modelo Matriz e Filiais).

  • Permite alocar/implementar/gerar novos recursos para uso de acordo com as necessidades da empresa, através da reprogramação do servidor de telefonia,

  • A ampliação dos ramais ocorre simultaneamente à ampliação da topologia da rede local.

  • Permite a criação de “rotas inteligentes” que podem minimizar consideravelmente o custo com telefonia.

  • Permite gerenciar os recursos de telefonia através de computadores, tablets ou dispositivos móveis.


A evolução tecnológica ocorre a uma velocidade estonteante, conheça o Bemmelhor Telecom e veja como um sistema de telefonia robusto pode auxiliar o seu negócio.



Sobre o Author

Profile

Ricardo A Higa

Analista de Sistemas, formado em 1992 pela Universidade São Francisco em São Paulo - SP. Atuando na área de TI desde então e atualmente como Gestor do Departamento Técnico na Bemmelhor Soluções Inteligentes.